Quem é a famosa veia safena?

A veia safena é a principal veia do sistema venoso superficial dos membros inferiores e é responsável, junto com outras veias, por levar o sangue dos pés, pernas e coxas ao sistema venoso abdominal e em sequência ao coração.

Nós possuímos em cada perna, duas veias safenas; uma que se inicia na parte interna do pé e vai até a virilha e recebe o nome de veia safena magna ou interna e outra que se inicia também no pé, mas na parte posterior, e vai até a dobra do joelho, chamada de veia safena parva ou externa.

As safenas se ligam ao sistema venoso profundo no fim de seus trajetos e também através das veias perfurantes. Apesar de desempenharem um importante papel na circulação, estas veias podem ser retiradas, bem como algumas de suas colaterais, sem nenhum dano serio ou que cause prejuízos para a saúde.

Por conta da expressão, muito conhecida popularmente, como “ponte de safena”, muitas pessoas acreditam que a safena é a “veia do coração”. O que ocorre, na verdade, é que em algumas cirurgias cardíacas, há a necessidade de “fabricar” tubo pequeno para o transporte de sangue, e a melhor veia para este procedimento é a veia safena. Onde a mesma é retirada da perna e implantada no coração. Não havendo, naturalmente, uma conexão direta desta veia com o coração.

 

Quais os sintomas de problemas na veia safena?

Muito associadas ao surgimento de varizes , as veias safenas quando apresentam problemas causam dilatação da veia safena, dilatação de outras veias ligadas a ela, inchaços e dores nas pernas. 

A principal causa de sua retirada é o refluxo na safena, através do procedimento cirúrgico chamado safenectomia. Este refluxo ocorre quando, ao invés de enviar o sangue para o coração, há o refluxo e o sangue retorna para os pés e pernas. 

O que é safenectomia? Este procedimento cirúrgico é responsável por retirar as safenas de ambas as pernas ou de apenas um dos membros. A safenectomia é exigida quando as veias comprometem a circulação. Após a anestesia, é feita a incisão e com um extrator de veias, a veia safena é retirada.

Este procedimento também pode ser realizado de maneira menos invasiva, através de fibras com laser ou radiofrequência e tbm escleroterapia com espuma.

 

Refluxo na veia safena

O refluxo nas veias nem sempre indicam que há um problema de saúde ali, se curto e isolado. Pode apenas ser a ação da gravidade ou de outras condições. No entanto, quando a veia dilata e a circulação do sangue ficam comprometidas, correndo o risco do surgimento de trombos (coágulos), o refluxo deve ser investigado pois as válvulas responsáveis por conter o retorno do sangue não estão funcionando adequadamente e mais para frente, pode ocorrer o surgimento de doenças venosas graves.

Somente o médico poderá interpretar corretamente o resultado dos exames e indicar o melhor tratamento.

O que significa insuficiência da safena magna esquerda? Motivo de curiosidade nos mecanismos de pesquisa, a também conhecida como refluxo segmentar de veia safena, é uma condição comum e embora cause muita preocupação para o paciente, não é indicativo de algo muito grave e sim que uma pequena parte de sua veia apresenta um certo “defeito” e também não tem diferença particular ser na perna direita ou esquerda. O seu médico com atuação em angiologia ou cirurgião vascular, poderá indicar o melhor tratamento. 

 

Ponte de safena

Há situações onde artérias do coração (artérias coronárias) estão obstruídas por acúmulo de gordura e outros resíduos. Nesses casos pode ser necessária uma revascularização, sendo realizada através de pontes ou angioplastia. 

Menos invasivo, a angioplastia pode desobstruir estes vasos com a aplicação de um “stent”, uma pequena rede metálica que empurra a gordura para fora do vaso e em conjunto com uso de medicamentos e mudança do estilo de vida, é o primeiro passo no tratamento de problemas de isquemia no coração.  No entanto, quando esta solução não é viável ou não surte o efeito desejado, a ponte de safena é uma solução, sendo realizada uma cirurgia aberta.

Como as veias safenas, localizadas na perna, são grossas e “descartáveis” para o completo funcionamento da circulação do sangue nos membros inferiores, elas são as principais escolhas para que o cirurgião cardíaco crie, literalmente, um novo caminho para o sangue e isso evite que que o coração fique sem a oxigenação que precisa.

Você sabia? A Veia safena não é o único vaso sanguíneo que pode ser usado para recuperar a circulação coronária. As artérias torácicas internas, algumas veias dos braços, a artéria gastroepiplóica e a artéria radial também são exemplos de outros substitutos.

 

Retirar as veias safenas pode fazer mal no futuro?

As veias safenas são retiradas apenas se extremamente necessário, de qualquer forma, surge nos pacientes o medo de que elas façam falta para circulação ou de precisarem dela no futuro para tratar alguma doença relacionada ao coração por isso, pode haver relutância quando o médico indica sua retirada. 

O conjunto circulatório venoso dos membros inferiores é extenso, sendo o sistema profundo o mais importante, nele passam as veias mais calibrosas. Portanto, quando há a retirada das veias superficiais, o organismo direciona o sangue que passava nessas veias para o sistema profundo e por isso a retirada de veias superficiais não trazem grandes alterações.

Quando estas se encontram demasiadamente dilatas e/ou obstruídas, ou seja, já não conseguem se comunicar com as veias profundas, se faz necessário a sua retirada. Os cuidados pós-operatórios são essenciais para diminuir o medo de futuras complicações nos membros inferiores. 

As complicações das retiradas das veias ficam então mais relacionadas ao próprio procedimento cirúrgico, como lesão de nervos, vasos linfaticos, pequenas manchas e inflamações. 

No entanto, estes sintomas possuem tratamento. O seu médico com especialização em angiologia   cirurgia vascular vai poder explicar e tirar todas as suas dúvidas no momento da consulta. 

Outras Publicações