Categorias
Sua Saúde

Creme trata varizes?

As varizes são veias dilatadas que não conseguem realizar o retorno venoso adequadamente e dessa forma podem ficar defeituosas e tortuosas. Agora, podemos tratar esse problema com cremes para varizes? A resposta, infelizmente, é não. 

Elas afetam mulheres (homens também, embora menos comum) e além do desconforto estético, elas indicam problemas circulatórios. 

Poderíamos terminar o artigo por aqui mesmo, mas você precisa entender o motivo e quais são os reais tratamentos para as varizes. Por isso, recomendamos fortemente que continue a leitura. 

Nós iremos explicar o porquê dos cremes não funcionarem, os perigos dos chamados “remédios naturais” e como se livrar de promessas enganosas na internet.

Creme trata varizes? - Dr. Bruno Carvalho Angiologia e Cirurgia Vascular

 

Por que os cremes não ajudam contra varizes?

Apesar de existir doença venosa em qualquer tamanho de veia, uma característica em comum de todas elas é que estão fisicamente maiores do que deveriam. Estão dilatadas, com calibre aumentado e isso não é possível corrigir só com o uso de medicamentos. 

Se eles não podem ajudar, por que vemos tantas propagandas sobre cremes para varizes? Talvez a mensagem esteja sendo entregue de forma equivocada. Afinal, temos alguns cremes que servem para ajudar em algumas características das varizes.

Maquiagens servem para diminuir a aparência externa ruim e alguns cremes melhoram a sensação de dor, desconforto, peso e calor. 

Remédios “naturais” contra varizes funcionam?

A internet está cheia de remédios e dicas naturais contra varizes, como por exemplo: suco de uva, compressas de couve, geleias de plantas que nem compreendemos o nome. Também, se pesquisarmos por varizes no YouTube, vamos encontrar vários vídeos.

Os vídeos geralmente possuem títulos sensacionalistas: “faça isso por 5 dias e diminua as varizes”, “tomei este chá e acabei com as minhas varizes”, etc, etc. 

Porém, a resposta é curta e objetiva: não existem remédios “naturais” contra varizes!

O que existe são os tratamentos com escleroterapia, cirurgia a laser e convencional. Existem até remédios que funcionam para auxiliar no tratamento contra varizes, mas eles devem ser recomendados pelo seu médico vascular.

O uso inadequado da medicação é um grande fator para que os remédios não funcionem. Os medicamentos são classificados em venotônicos ou flebotônicos e eles auxiliam de formas distintas no organismo. Alguns são antiinflamatórios e outros fortalecem as paredes das veias e devem ser tomados com cuidado. 

Mas afinal, o que funciona contra varizes?

O tratamento de varizes se divide em duas frentes, uma visa aliviar os sintomas e melhorar o retorno venoso, chamado de tratamento clínico e o outro visa eliminar os vasos doentes, chamado tratamento intervencionista. 

  • Tratamento clínico: 

Meias de compressão: um importante tipo de tratamento para as varizes é a utilização de meias elásticas de compressão graduadas. Seu nível de compressão sendo definido pelo médico vascular.

Flebotônicos: medicamento que melhora o tônus do vaso sanguíneo, melhorando o retorno venoso. 

Mudança do estilo de vida: elevar os membros algumas vezes durante o dia, controle do peso, caminhada, alimentação saudável. 

  • Tratamento intervencionista: 

Cirurgia: a cirurgia é um dos tipos de tratamentos para varizes mais frequentes e com mais resultados positivos. Embora nenhum seja definitivo, elas melhoram a circulação sanguínea e conseguem controlar o aumento das veias varicosas existentes ou o surgimento de outras.

Microcirurgia: um dos procedimentos cirúrgicos mais conhecidos é a remoção da veia danificada.

Cirurgia a laser: a cirurgia a laser faz o tratamento da veia afetada sem a necessidade de retira-la por completo. Uma vez ali, são liberados os impulsos do laser para a cauterizar, impedindo que o sangue flua por ela novamente. Ele também pode ser utilizado por fora onde são enviados impulsos para as veias mais superficiais, chamada de técnica transdérmica.

Radiofrequência: funciona da mesma forma que a cirurgia a laser.

Escleroterapia: dividida em líquida e com espuma, são os procedimentos não cirúrgicos que aplicam algum tipo de substância esclerosante (obstrutiva) na veia, a inutilizando. 

Aliás, nós temos um conteúdo explicando mais a fundo todos os tipos de tratamento contra varizes. Confira aqui.

Dependendo do nível das varizes, é possível tratá-las com meias de compressão, medicamentos e outros procedimentos não cirúrgicos. Todos eles devem ser discutidos com o seu médico. 

Como me livrar de propagandas enganosas?

Uma boa dica para se livrar de promessas enganosas na internet é sempre verificar a fonte de conteúdo. Por exemplo: se o site é de um médico e você pode verificar o registro do conselho regional de medicina do médico. 

Muitas pessoas divulgam receitas caseiras para várias coisas, mas elas não estão aptas e nem possuem o conhecimento científico para tal. Fique de olho na fonte sempre. 

Cada corpo funciona de uma forma diferente e é muito importante que o seu tratamento seja focado no seu tipo de corpo e suas particularidades. Só com exames e com o olhar crítico e especializado do médico vascular é que é possível determinar o melhor medicamento e demais tratamentos.

Por isso, sempre consulte com seu médico!

Mas posso usar cremes para varizes nas pernas?

Já falamos que não existem cremes para varizes que funcionem, porém, vem sempre aquele pensamento “se não faz bem, pelo menos não faz mal”. 

O que indicamos é que verifique a marca e a composição do seu creme. Se ele servir para maquiar, hidratar a pele ou até mesmo melhorar o seu aspecto ao fim da escleroterapia, é uma alternativa como complemento mas jamais como tratamento único.

O que funciona mesmo para tratar varizes é procurar o médico vascular. Além disso, manter o peso adequado e uma dieta balanceada focada em alimentos que não inflamem. 

Os benefícios de se exercitar e comer bem, evitando frituras e álcool em excesso são muitos e eles vão muito além de apenas diminuir ou até mesmo evitar as varizes. Eles se refletem em todo o seu corpo.

Na dúvida do que fazer? Agende uma consulta com o médico vascular. Ao clicar no botão do WhatsApp ao lado, você será encaminhado para uma de nossas atendentes. Elas estão preparadas para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. 

Cuide da sua saúde e procure um médico especializado hoje mesmo.

Acha que alguém precisa ler esse conteúdo? Compartilhe com seus amigos e amigas. Muitas vezes, pessoas sem muito conhecimento podem cair em golpes acreditando em curas milagrosas. Se você puder diminuir que mais pessoas sejam enganadas, já estará fazendo muito.

Categorias
Sua Saúde

Cirurgia endovascular

A cirurgia endovascular é uma das ramificações da cirurgia vascular, e serve para tratar doenças circulatórias, arteriais, venosas e dos vasos sanguíneos. 

O procedimento é realizado através de punções – é colocada uma agulha com menos de três milímetros nas veias ou artérias que estão localizadas em locais mais superficiais e de fácil acesso.

Através desse minúsculo furo feito com a agulha, são posicionados cateteres – tubos ocos fabricados com um plástico específico para o procedimento –, fios de metal que funcionam como “fios guias”, balões para dilatação da veia ou artéria e stents, que são endopróteses extensíveis. 

Todo o processo durante a cirurgia endovascular ocorre dentro dos vasos sanguíneos com o auxílio de um arco cirúrgico, que é composto por um aparelho de raio-x e contraste ou ultrassom. O uso desses aparelhos é essencial, pois transmitem, em tempo real, imagens em um monitor que auxiliam o cirurgião vascular na hora de posicionar todos os dispositivos necessários, para que seja realizado o tratamento de forma correta.

 

Diferença entre cirurgia vascular e cirurgia endovascular

Embora os dois procedimentos sirvam para tratar praticamente as mesmas doenças, há uma grande diferença entre eles. 

A cirurgia vascular utiliza incisões – cortes com bisturi – que se iniciam na pele, parte mais superficial do organismo, e se adentram no corpo, até alcançar o vaso que será tratado. Já a cirurgia endovascular é realizada através de punções com a utilização de cateteres.

A principal diferença entre os dois procedimentos é justamente a forma que o acesso aos vasos ocorre: a cirurgia vascular é mais invasiva, com tempo de recuperação maior. A cirurgia endovascular, nesse aspecto, é menos invasiva, com um pós-operatório muito mais tranquilo. 

No entanto, apenas o cirurgião vascular poderá indicar qual dos dois tratamentos é o mais indicado para cada caso.

 

Quando é recomendada a cirurgia endovascular?

É recomendada no tratamento das doenças circulatórias dos vasos sanguíneos, arteriais ou venosos, mas também tem outras aplicações como auxiliar no tratamento de alguns tumores como o mioma uterino.

Dependendo do problema, a cirurgia endovascular já pode ser indicada como primeira opção, e é altamente recomendada nos casos em que os demais procedimentos apresentam contraindicações ao paciente.

 

Vantagens da cirurgia endovascular

A cirurgia endovascular veio para revolucionar como uma ótima opção de tratamento para inúmeras doenças ligadas aos vasos sanguíneos. Isso se deve ao fato de que sua principal vantagem está no fato de que é um procedimento minimamente invasivo.

Isso significa que, na prática, resulta em menos trauma no paciente, uma vez que não há necessidade de incisão profunda. Além de que, devido a isso, é completamente viável diminuir o tempo da cirurgia e, consequentemente, da internação, recuperação e complicações tanto durante quanto depois do procedimento.

O pós-cirúrgico é muito mais tranquilo que o procedimento tradicional, podendo o paciente voltar para a sua rotina muito mais rápido, inclusive trabalhar e realizar atividade física. E em alguns casos, ela pode ser realizada sem anestesia geral.

É perceptível que cirurgia endovascular é uma excelente solução para inúmeros problemas ligados à circulação sanguínea. Quando ela é recomendada pelo cirurgião vascular, não há o que temer, pois é um procedimento altamente seguro e eficaz.